top of page
  • TechBalance

TechBalance: startup oferece um novo jeito de cuidar da saúde de forma preventiva

Empresa otimiza os processos de avaliação biomecânica e linhas de tratamento

Com quase 5 anos de fundação, a TechBalance é uma startup focada em avaliar a saúde motora e física dos indivíduos para prever possíveis riscos de quedas e lesões e, dessa forma, evitar incidentes. Na prática, é um novo jeito de cuidar da saúde de forma preventiva.

Fabiana Almeida, fundadora e CEO da empresa,conta que a ideia nasceu de um momento em que buscava um novo caminho no mundo acadêmico em 2018. O que seria um projeto para o mestrado acabou se tornando um empreendimento que logo de cara captou investimentos e o produto ganhou notoriedade, conquistando clientes.

A ideia uniu a tecnologia vivenciada pelo marido de Fabiana – Nicolas, técnico de TI – com seus conhecimentos como fisioterapeuta atuando com assistência à saúde muitos anos na área de Ortopedia e Traumatologia ligada à parte do envelhecimento. “Na prática, trata-se de um software que roda dentro do celular e coleta informações clínicas do paciente. A gente consegue medir o equilíbrio postural da pessoa enquanto ela executa um teste. O celular é colocado na cintura da pessoa, que deve realizar tarefas como sentar, levantar, caminhar. Ao final do teste, sai um laudo com a análise de riscos e recomendações”, explica.

Segundo Fabiana, os principais clientes interessados no serviço da TechBalance são os planos de saúde. Estes utilizam a tecnologia para evitar custos futuros maiores com seus pacientes, como em casos de cirurgias, por exemplo.

“A gente entende que o impacto é muito legal. A gente consegue mesmo reduzir custos, tirar em um grupo de 100, 120 pessoas, uma, duas pessoas que estavam pensando em uma cirurgia de coluna, que estavam pensando em fazer uma bariátrica, e aí, no fim, ganhou energia para seguir num caminho solo de fazer exercícios, retomar um estilo de vida mais saudável e tirou da cabeça essa ideia que não seria mesmo legal para a pessoa. Não é o interesse desses negócios, das seguradoras e operadoras de saúde, porque é um sinistro muito maior [as cirurgias]. Então, é um programa de prevenção que traz resultados objetivos, tanto para o paciente, como para a redução de custos dos operadores e seguradores”.

Com o sistema pensado inicialmente para idosos, Fabiana conta que o público foi ampliado, passando a atender também jovens e adultos que desejam mudar o estilo de vida. “O segundo produto foi o TechSport. A gente queria atender também pessoas mais jovens, que também têm problemas ortopédicos, o impacto do sedentarismo, do sobrepeso, às vezes até mesmo mal-estar por uma dor, então a gente também sabia que dava para seguir nesse sentido. E aí a gente investiu então no desenvolvimento do segundo produto, com o objetivo de realizar uma avaliação com o celular no centro de massa corporal para avaliar o equilíbrio postural e dar uma prescrição automática de exercícios de fisioterapia preventiva, mas aí voltado para pessoas com perfil dos 20 a 55 anos, numa proposta de exame físico de performance”, detalha.

A fisioterapeuta explica que o tratamento ocorre de ponta a ponta de forma presencial ou online. Todos recebem o laudo para levar a um personal, para a academia ou um plano de tratamento. Método que tem rendido números significativos de eficácia. “Hoje os nossos resultados sugerem que a gente tem mais ou menos de 65 até 84% da melhora física desses pacientes, dependendo de como eles começam. A gente tem paciente desde perfil jovem e mais assim buscando sair do sedentarismo, uma proposta fitness, supervisionada, até pacientes idosos que realmente precisam, por exemplo, de um programa de prevenção de quedas por fragilidade, diz Fabiana. Desde sua fundação até hoje, a TechBalance já impactou a vida de cerca de 26 mil pessoas. A empresa antes localizada em São Paulo, durante a pandemia passou a operar 100% em home office, permitindo até mesmo uma expansão dos atendimentos, que devem crescer ainda mais com a perspectiva de novos produtos. “O objetivo é realmente fazer um rollout desse modelo que está dando super certo e faz sentido para o ecossistema do negócio de saúde”, relata Fabiana Almeida.

Seguindo com seu foco de impactar a vida das pessoas e tornar o sistema de saúde mais eficaz, Fabiana finaliza pontuando que este propósito segue firme e deve render ainda mais bons frutos. “Falando de propósito, realmente é o que faz diferença, porque quando a gente percebe que as pessoas iam fazer uma cirurgia que não precisavam sentem que melhoraram, a gente consegue ver que ela está grata, ela mudou de vida. Isso é motivador”, diz.




Commentaires


bottom of page