top of page
  • TechBalance

O que são ambientes amigos da pessoa idosa




Você já ouviu falar em ambientes amigos do idoso (ou amigos da pessoa idosa)? E você sabe o que significa? Bom, a primeira coisa que precisamos saber é que, esse conceito não apenas se refere à acessibilidade dos ambientes, mas também a promoção de ambientes que favorecem o envelhecimento ativo no decorrer de toda a vida. A imagem a seguir, apresentada pelo Dr. Thiago Herick de Sá no IAGG 2022, mostra a base e as ramificações que ambientes amigos da pessoa idosa deve atender e promover:


O que um ambiente amigo à pessoa idosa promove (DE SÁ, 2022)


Assim, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), ambientes amigos da pessoa idosa (ou melhor, amigo para qualquer idade) são ambientes livres de barreiras físicas ou sociais que promovem saúde e mantêm e evoluem as capacidades físicas e mentais por todo o ciclo da vida. Também permitem que as pessoas, mesmo que percam suas capacidades físicas, continuem fazendo as coisas que lhes são caras. E tudo isso com apoio de políticas públicas, sistemas sociais, produtos, serviços e tecnologias. Dentre a ramificação de serviços e tecnologias, a LAR.i e a TechBalance contribuem para que pessoas longevas possam viver com menor risco de queda, seja através da adaptação ambiental para as mudanças fisiológicas vindas com a idade ou seja através da promoção da saúde com avaliação do risco de queda.

A OMS define em sua rede global para cidades e comunidades amigas do idoso (2018), que esses locais devem:

  • reconhecer as inúmeras capacidades dentre pessoas longevas;

  • antecipar e responde de maneira flexível às necessidades e preferências das pessoas idosas;

  • respeitar as decisões e escolhas de estilo de vida das pessoas mais velhas;

  • reduzir desigualdades;

  • proteger os mais vulneráveis;

  • promover inclusão das pessoas idosas, permitindo a contribuição em todas as áreas da vida em comunidade.


Um exemplo de como enxergar esses pontos na rotina do idoso foi apresentado no congresso internacional de geriatria e gerontologia (IAGG). Imaginemos que uma pessoa idosa precisa ir ao mercado. Como é esse caminho para ela? Existem opções de transporte acessíveis (fisicamente e financeiramente)? Os ônibus param para ela, dando tempo suficiente para entrar e sair, com assentos confortáveis? Se ela for caminhando, as calçadas estão em boas condições? O tempo de travessia no semáforo é suficiente? Existem bancos e banheiros no caminho? O bairro é seguro e agradável? E no estabelecimento, essa pessoa será bem atendida, de maneira cordial e sem indícios de preconceito ou infantilização? Quando ela voltar para casa, esse lar é acessível, com equipamentos e tecnologias que lhes dê apoio necessário?



Exemplo apresentado pelo Dr. Thiago Herick de Sá no IAGG 2022


São diversos pontos a se pensar, não é? Por isso, a OMS criou não apenas um guia de ambientes amigos à pessoa idosa, como uma comunidade em que gestores públicos e comunidades podem trocar experiências e melhores práticas.

Uma outra organização que também atua para melhorar as cidades para pessoas de todas as idades é a HelpAge International que, em colaboração com a Associação Americana de Pessoas Aposentadas (AARP) e a Organização Panamericana da Saúde (OPAS), criou um manual de como criar comunidades amigáveis para os mais velhos. O manual, chamado de guia “Let’s go!” (Vamos lá!), tem um passo-a-passo de como implementar soluções simples, construir alianças e desenvolver estratégias para um ambiente amigo para todas as idades. Além disso, o manual também apresenta diversas ideias que foram implementadas no continente americano, como um jardim comunitário na Colômbia, rotas de pedestres nos EUA e campanhas para melhorias no transporte público na Argentina. Sem esquecer de uma iniciativa da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) de promover atividade física em Florianópolis com o uso de triciclos.


Não é preciso de grandes investimentos ou soluções complexas para transformarmos nossas cidades e comunidades em ambientes amigos das pessoas idosas ou, na realidade, de qualquer idade. Quando falamos de ambientes com inclusão, respeito, acessibilidade e saúde, falamos de atitudes e ações que beneficiam a todos. Cidades amigas das pessoas idosas só tendem a evoluírem para se tornarem ambientes e comunidades melhores. E, para isso, conte com a gente, conte com a LAR.i e com a TechBalance para oferecermos serviços de alta qualidade e contribuir para esses ambientes amigos das pessoas idosas.



Julia Trevisan Msc em Engenharia e co-fundadora da LAR.i


Colunista e parceira TechBalance


https://www.larpontoi.com/


Referências Bilbiográficas: ROSEN, T.; MACK, K. A.; NOONAN, R. K. Slipping and tripping: fall injuries in adults associated with rugs and carpets, Journal of Injury and Violence Research, v. 5(1), p. 61-69, 2013 OMS. Global Report on Falls Prevention in Older Age. Geneva: Age-Friendly World | WHO, 2014. Disponível em: https://www.who.int/ageing/publications/Falls_prevention7March.pdf Acesso em: 14 jul. 2021 WANG, Z.; RAMAMOORTHY, V.; GAL, U.; GUEZ, A. Possible Life Saver: A Review on Human Fall Detection Technology. Robotics, v. 9(3), 55, 2020


bottom of page