TechBalance entrevista empresária da moda Adriana Ambrosi

26/03/2020

Quedas: uma epidemia silenciosa

Conversa com a empresária da moda, Adriana Ambrosi, triatleta há 30 anos.

Como foi o acidente do seu pai e como ele está?

Meu pai tem 84 anos, é uma pessoa muito ativa e forte que sempre fez tudo para todos. Agora neste momento de confinamento eles não conseguem ficar parados. Ele foi colocar uma escada para pintar uma janela e acabou caindo, passou por uma cirurgia grave na coluna por sete horas, agora não sabemos como ser... se ele vai voltar a andar. Vida nova daqui para frente.

Você considera que um teste preditivo de risco poderia ajudar a prevenir que estas situações ocorram e principalmente se agravem neste momento de quarentena?

Com certeza. Acho muito importante para alertá-los! Porque a gente sabe que é muito difícil segurá-los. Meu pai mora em Veranópolis, terceira cidade em qualidade de vida no Brasil. Ele praticava 1 hora de atividade física diária. Somos uma família de quase atletas: eu e meu marido somos triatletas, meu corria. Temos muitos familiares com idade muito avançada. Ironicamente, nosso olhar sempre foi de preservar a saúde e agora estamos vivendo essa situação de apreensão com meu pai. Não é a primeira vez, minha sogra, já falecida, quebrou o fêmur e ficou 8 anos na cadeira de rodas. A gente percebeu na prática como é difícil o cuidado depois que o problema está instalado. Nós somos um país que vai ficar velho e a gente não está preparado para cuidar dos velhos.